Alma Nova Está de casa nova http://cdz-almanova.blogspot.com/

Quem sou eu

Minha foto
Se nada mais der certo pra mim, pego esse computador bato na cabeça do meu patrão até ele desmaiar, depois roubo um caminhão e dirijo a noite toda como um prisioneiro fugitivo, aí vou para a amazonia onde começarei vida nova com uma criação de peixes voadores...
"Quando a humanidade erra, os Deuses tratam de puni-la com morte, praga, fome e guerras; mas e quando os Deuses erram? Quem os pune? E que tipo de punição eles terão?"

-Bem-vindos a Saga dos Assassinos de Deuses

Capitulo 1: A Mais Longa das Noites


No Santuário de Athena, tudo anda calmo, para os cavaleiros de Athena, chega a ser uma das eras mais pacificas de todos os tempos, todos os cavaleiros acham isso, o único que não parece estar calmo é o atual grande mestre que retem esse cargo durante 100 anos, o poderoso cavaleiro cego, monge Tao de Libra, mas ele sabe que algo deverá acontecer naquela noite apesar dele ser amaldiçoado para nunca mais ver as estrelas porém mesmo assim a visão para um cavaleiro de ouro não é nada se comparado ao sétimo sentido. Todos os outros cavaleiros de ouro estão nesse momento em suas respectivas casas. Apesar de serem os cavaleiros mais poderosos dessa época são por demasiadamente jovens. Mais ainda que preocupa Tao é que a sua Deusa ainda não reencarnará para servir de inspiração a seus cavaleiros e guia-los, mas enquanto ela não renascer Tao deve fazer esse serviço.

Mas longe dali, três cavaleiros de prata descansam próximo ao portão Sul do Santuário, eles haviam acabados de chegar de uma missão quase que suicida para eles, e não entenderam muito bem já que os cavaleiros de ouro poderiam muito bem fazer tal missão sem grande esforço. Os três cavaleiros são: Demiris de Terêncius, Renam de Gladius e Seto de Cefeus. Eles olham para o cemitério, onde o mestre deles o grande cavaleiro de ouro Rhodes descansa. Mas o mais estranho é que há uma presença de um cosmo no cemitério, mas tirando os cavaleiros de ouro, o cavaleiro de Altar e os guardas de lá, todos são proibidos de ir lá.

Eles resolvem ver o que acontecerá, sim eles sempre foram inconsequentes e curiosos por demais, assim como seu mestre. Quando começam a chegar próximo ao cemitério, a um cheiro ferroso muito podre, era cheiro de sangue, de cadáveres recém mortos, os três temendo pela vida dos guardas eles aceleram a corrida para chegar mais rápido ao cemitério. A cena é deprimente, mais de 50 soldados mortos parecia um cenário de guerra apesar de serem soldados muitos deles eram aspirantes as armaduras de prata e de bronze. E algumas covas abertas, não de fora, mas por dentro.

Em diante de tantos cadáveres apenas uma pessoa de pé com um cosmo enorme!!! Os três estão com medo, porém acham que reconhecem o seu cosmo, mas não fazem a mínima ideias de quem seja.

-Quem é você? - Pergunta Demiris com muito receio, por não entender o motivo de tamanha matança.

- Ousa perguntar pelo meu nome jovem cavaleiro de prata? - diz o tal invasor com uma voz feminina doce e suave parecendo o sussurrar de uma ninfa. - Já fui conhecida como uma das maiores guerreiras e meu nome era glorificado por meus aliados e temido por meus inimigos, e agora, depois de morta meu nome é esquecido por tão curto período de tempo. - Por mais que eles quisessem se lembrar eles nunca conseguiriam, e com um movimento rápido ela se mostra com uma armadura idêntica a armadura de Câncer, mas de um tom roxo e de aparência mais maligna. - Sou a amazona de ouro, Clair de Câncer.

Clair de Câncer. Assim foi como aquela amazona se apresentou, Renam lembrara que ela foi mestre de Dincht, que o treinou para ser seu substituto, mas ele não acreditava que ela poderia estar viva. Ele recua dois passos entendendo agora quem era o adversários deles. Demiris e Seto não faziam a mínima idéia de quem seria ela, mas sabiam que seu cosmo se equiparava ao de Dincht, o atual cavaleiro de ouro de Câncer e apesar do medo eles se puseram em posição de combate.

- Vocês vão ter o mesmo destino que os guardas que vigiavam minha morada. - Diz Clair de Câncer.

-Infelizmente não poderemos ter esse mesmo destino, temos que puni-la por matar nossos irmãos de armas. - Diz Demiris ainda com medo e fraco da missão que acabará de chegar. -Não nos interessa quem é ou quem foi você, somos os sagrados cavaleiros de Athena e não permitiremos isso.

- Exatamente. - Diz Seto que está ao lado de Demiris. - Você já deixou sua marca, já completou seu ciclo, não tem mais nada a fazer nesta Terra!

- Seus moleques insolentes. - Diz Clair de Câncer, que no fundo esta admirada com a reação dos cavaleiros de prata.

- Clair de Câncer, não permitiremos tais atos de vilania na terra santa que Athena fez como seu santuário.- Diz Renam se recuperando mentalmente do choque emocional que tiverá. - Não nos interessa se você treinou Dincht, vamos detê-la custe o que custar!

Demiris e Seto se voltam para Renam assustados e entendendo agora o temor inicial dele. Ela treinou o segundo cavaleiro mais poderoso do Santuário. Olhando rapidamente para Clair, cada um tinha um pensamento; Renam pensava qual era o motivo dela estar ali em pé diante deles; Seto temia que a mão dos outros deuses estavam manipulando uma outra guerra santa; e Demiris pensava que poderia estar dormindo e descansando mas não ele tinha que ir para a porcaria do cemitério para encontrar a mestra do segundo cavaleiro de ouro mais poderoso que saiu da cova e que possivelmente tem TPM acumulada durante uns dez anos.

- Vocês não entendem as agonias depois que se morre, o desespero de ser esquecido, e ficar sendo torturada por tempos que parecem eternos - Diz Clair com imensa tristeza no coração, que chega a fazer os cavaleiros de Prata chorar, desejando que tal coisa não acontecesse com eles também. - Mas para eu recuperar minha vida terei que destruir o Santuário.

Os três cavaleiros de prata se colocam em posição de combate, mas Clair apenas se coloca imóvel com ar de perdida, como se estivesse vazia por dentro, com uma tristeza incontrolável.

Seto é o primeiro a atacar, ele com sua extrema velocidade faz uma aproximação de Clair, e com as correntes faz um ataque secundário e periférico. Mas Clair faz uma ação tão veloz que nem o próprio Seto acompanha, Clair simplesmente pula mas Renam tentando decapita-la com seu golpe aplicado com seu braço direito mas outra vez sua velocidade é superior fazendo que praticamente que ela se teleporta-se dali mas ela não entendi pois esses golpes são muitos primários, comuns com cavaleiros de bronze mas com cavaleiros de prata isso era muito infantil.
Mas quando acabará de pensar, uma chuva de meteoros se aproximara dela, eram muitos mas agora com grandes dificuldades esquiva de todos. Ela agora perceberá que estava sendo distraída para receber os meteoros, mas ela reparara que o cavaleiro da armadura verde, não parecia frustado em errar.

Clair agora pretendia acabar primeiro com Demiris, pois ele parecia ser o mais poderoso dos três mais enquanto ela se dirigia como uma míssil, fora interceptada por algo, quando vê estava com uma das suas pernas acorrentadas, por uma das correntes de Cefeus. Ela fora pega em um truque tão infantil que não se perdoava. Mas seus pensamentos foram interrompidos pelo ataque de Renam de Gladius, que vinha disposto a corta-la ao meio.

Clair se utiliza de sua ondas espectrais que jogam Renam para longe. Mas isso não resolve o problema pois ainda esta acorrentada, Demiris de Terêncius novamente lança seus meteoros em Clair ao mesmo tempo que ela lançara suas ondas espectrais em Renam. Clair, mesmo com seus movimentos limitados consegue esquivar de todos os meteoros. Seto percebendo que os movimentos além de escapar dos meteoros de Demiris visavam se livra de sua corrente ele começara a rodar a corrente a qual Clair estava presa em grande velocidade, aproximadamente uns 400km por hora.

Clair percebe agora que esses cavaleiros de prata são muito bem treinados, treinados para derrotar cavaleiros mais fortes que eles. Clair não iria permitir que sua segunda chance fosse tomada assim. Clair retoma o controle da situação, e se livra das correntes que antes a aprisionavam, correndo pelas correntes Clair chega rapidamente ao encontro de Seto. Seto esta apavorado, ninguém conseguira antes sair dessa forma de seu ataque, nem Demiris e nem Renam podiam ajudar por que além dos ventos que Seto provocará, bloqueado seus golpes, Seto agora se encontra na mesma direção de Clair, fazendo assim um alvo. Ambos apenas esperavam uma chance de ajudar o amigo.

Seto se utilizava de sua corrente esquerda para tentar parar Clair, mas nunca vera alguém correr tão rápido assim. Clair chega o suficiente para um combate corporal, com uma imensa carga de cosmo enegrecido em sua mão direita. Clair aplica toda essa carga no abdômen de Seto que logo em seguida explode parte de sua armadura , jogando para fora do próprio tornado que ele havia criado. O tornado se dissipa para alegria de Demiris e Renam, mas lá eles apenas vêem Clair intacta no centro. Eles temiam por Seto mas o ódio que eles sentiam era maior.

Renam ia na frente acumulando seu cosmo em seu braço direito, pois dos três ele era o melhor em ataques corpo-a-corpo, Renam pretendia acerta-la de todo o custo. Clair, admirava a coragem do cavaleiro de armadura negra, mas não podia acreditar que ele não esperara seu amigo para que ambos tivessem mais chances, erro tático básico. Clair pulara, já que presumia que esse ataque seria potente, e atacaria ele com seu Relâmpago Astral, mas quando ela chegara o suficientemente alto para um ataque seguro, fora jogada para baixo novamente.

Demiris lançara seus meteoros como cobertura para Renam. Mas Clair ,percebia que ele desperdiçava muito cosmo, pois grande parte seus meteoros passavam longe dela, mas olhando novamente para Renam, ela percebera que os golpes não eram para acerta-la mas para limitar seus movimentos e cobrir Renam. Clair notava que esses três tinham uma sincronia quase que perfeita, porém muito irritante para ela.

Clair decidira então, lançar dali mesmo seu Relâmpago Astral, assim Renam perderia a energia concentrada e ela venceria com sua superior força. Mas ela de repente fora puxada para baixo, quando ela olhara para suas pernas, vira que estava acorrentada de novo, Seto, mandara suas correntes por debaixo da terra e puxara Clair para baixo enquanto ela mesmo ficara distraída com os meteoros de Demiris.

Renam, finalmente conseguia chegar ao encontro dela, e usava seu golpe devastador, a lâmina do destino. A destruição é impressionante, todos os cadáveres expostos são jogados para longe com a pressão do impacto. Demiris e Seto protegiam-se como puderam para também não fossem jogados para longe. A poeria é dissipada. Os três cavaleiros estavam de pé, porém exaustos. Seto ainda sentira as dores do ataque de Clair, Demiris gastara cosmo demais para distrair Clair deixando ele exausto e Renam além do golpe que recebera também sofria com o grande gasto de cosmo. Eles pensaram que haviam derrotado Clair, pois apesar dela ter sido uma amazona de ouro, seu cosmo estava impuro.

Mas eles mal relaxaram os músculos, Demiris fora atravessado por uma rajada purpura que parecia ter vontade própria. Era Clair com um grande ferimento no ombro esquerdo. Clair escapara no último momento, mas como o visto, não ilesa. Demiris é levantado por tal poder e, logo em seguida, arremessado para longe.

- DEMIRIS!!!! - gritam Renam e Seto em desespero.

- Finalmente percebi a estratégia de vocês. - Diz Clair em estado deplorável. - Cada um cumpre com seus ataques de maneira ensaiada. Cefeus atua com usa suas correntes para prender o oponente e usa sua velocidade para uma rápida aproximação, Gladius se utiliza de sua perícia em combate e sua grande força para finalizar as batalhas, e o Terêncius cria essas oportunidades. Pois isso acabou.

Seto e Renam sabem que grande parte disso é verdade. Seto coloca eles dois em sua defesa nebulosa, enquanto isso Renam levantava seu braço direito para cima e o segurava com seu braço esquerdo; ambos elevavam seu cosmo ao máximo. Clair entendera sua estrategia novamente: o cavaleiro de Cefeus protegeria o cavaleiro de Gladius com sua defesa nebulosa, enquanto ele aplicara sua técnica mais poderosa, mas Clair sabe que se um golpe for bastante poderoso pode destruir a defesa nebulosa deixado assim seus acolhidos desprotegidos.
Clair aceitava o desafio. Ela iria usar seu golpe mais poderoso, o Fogo-fátuo, que visa em acumular a energia remanescente dos mortos aplicando um golpe que atinge tanto fisicamente quanto espiritualmente o oponente em suas mãos. E seu poder aumentava pois eles lutavam no cemitério do Santuário.

O cosmo de Renam, agora podia ser visto em todo o Santuário como um imenso farol. Que tomava forma de uma imensa lâmina. Clair sabia que além desse golpe ser o mais poderoso de Gladius, ele também pretende chamar atenção dos outros cavaleiros caso eles percam.
Ambos os lados, os cavaleiros aumentavam seus cosmos de maneira impressionante, fazendo aquela parte do Santuário tremer. Seto e Renam esperavam que seu plano desse certo, e Clair não se preocupava deles se esquivarem pois Cefeus parece estar muito confiante em sua defesa nebulosa.

Mas do nada, Clair sente um cosmo explodido com uma imensa força. Quando mal virou, era Terêncius vindo em uma enorme velocidade. E nada ela podia fazer pois seu próprio golpe fazia ela ficar parada pois se ela tentasse desfiar perderia-lo totalmente.

- CENTELHA DE TERENCIUS

O golpe de Demiris visava em concentrar seu cosmo em seu punho fazendo que seu golpe transpassasse seu oponente, mas Demiris apenas empurrara Clair com seu golpe, e como medida desesperada ela lançara seu fogo-fátuo em Demiris a queima-roupa. Mas Demiris não fora detido mesmo recebendo o fogo-fátuo, mas seu golpe não trespassava a armadura de Clair.

Clair agradecia há Hades que transformasse sua armadura em suplicie. Mas na verdade ela estava sendo jogada com tudo diretamente para a defesa nebulosa de Cefeus. Demiris usara um outro golpe para escapar de perto de Clair, a cadência de meteoros, além de afasta-lo dela, aumentava a velocidade de Clair em direção a defesa nebulosa, as correntes reagem a aproximação de Clair e a trespassam, e nesse exato momento Renam aplica sua mais poderosa técnica a Zona de Destruição, descendo a enorme lâmina de cosmo sobre a agora indefesa Clair.
O clarão do golpe agora chega a Star Hill, sendo visto pelo grande mestre, que anuncia mentalmente a todos os cavaleiros que começou uma nova Guerra Santa, mas ele também convoca a União Dourada, que visa reunir todos os cavaleiros de ouro em Chrysus Shnagein, o lugar onde a essência das armaduras de ouro se localizam; enquanto os cavaleiros de prata e bronze devem defender o Santuário custe o que custar.

Mas no cemitério, os cavaleiros de prata Demiris, Renam e Seto, estão caídos e enfraquecidos, mas ainda conscientes pensando que venceram Clair. Eles recebiam as ordens do grande mestre agora.

- Só agora que o velhinho fala isso? - Diz Demiris com seu eterno jeito irônico, não querendo demonstrar fraqueza , mesmo nas condições atuais.

- Não fale isso do Grande Mestre. - Diz Renam o repreendendo.

- O mais estranho é o por que da União Sagrada logo agora? - Diz Seto temendo o que estava por vir.

- Provavelmente, eles vão tomar leite com biscoito e fazer-nos merecer nosso salário!!! - Diz Demiris.

Mal Demiris terminava seu comentário, Clair de Câncer se levantava dos escombros que estava, sua armadura que antes era altiva, agora se encontra em pedaços, ela sangra muito pela mascara parcialmente quebrada. Os três caídos estão em estado de choque, sem forças para se levantar, sem cosmo para lutar, são apenas cadáveres que ainda falam.

- Estou muito impressionada. Vocês são muito fortes e trabalhando muito bem em equipe, talvez Hades goste de vocês e resolva recruta-los. - Diz Clair realmente impressionada pois nunca vira cavaleiros de prata tão poderosos em toda a sua vida. - Mas acho que vocês estão muito fracos para continuar à lutar.

- Você é muito insistente em tia? - Diz Demiris vendo-a de cabeça pra baixo. - Será que você não sabe quando esta derrotada?

- Você vai ser o primeiro a morrer então. - Diz Clair à Demiris.

- Se tem um coisa que mestre Rhodes nos ensinou foi que além de sermos cavaleiros devemos ser cavalheiros, por isso eu digo, primeiro as damas. - Diz Demiris cuspindo sangue enquanto tenta rir.

Renam e Seto começam a rir. Mas Clair o ignora seus comentários, pois quando a beira da morte pessoas ficam loucas, Clair apenas levantara sua mão em forma de uma lâmina em cima de Demiris para aplicar o golpe final mas quando fora descer com o golpe não conseguia se mover.
Ela não acreditava que nenhum dos três tinha mais cosmo para queimar. Clair estava paralisava, quando notara três amazonas de bronze das constelações de ferramentas, taça e Andrômeda retiravam os três cavaleiros de prata feridos dali. Demiris, que estava sendo carregado pela amazona de bronze de Taça, pede para ela pare um pouco e vira para Clair dizendo: - Nos vemos no Inferno.

Clair não faz a mínima idéia de quem seja o dono do cosmo mas seu algoz aparece. É na verdade um das amazonas do santuário: Lucrécia, a amazona de prata da constelação de Andromarca. Sua armadura é muito parecida com a armadura de Andrômeda mas com mais detalhes.
- Você tem muita sorte sabia? - Diz Lucrécia a Clair - Eles estavam muito fracos com a missão que eles tinham feito, eles estavam exaustos.

- O que você fez comigo? - Diz Clair realmente desesperada. - Por que não consigo me mover?
- Esse é o anuncio de meu golpe selado, assim como Seto eu manipulo o vento também. Apenas as correntes de ventos estão sendo redirecionadas para que você fique imóvel antes do verdadeiro golpe. - Explica Lucrécia. - Mas meu desejo não é mata-la, você, assim como eu, é uma honrada amazona desista desse plano absurdo e volte para o lado de Athena.

- Não posso, jurei lealdade a Hades, trai minha Deusa, mate-me para que eu possa descansar em paz, mas deve me prometer que derrotara Hades por mim. Só assim terei descanso. - Diz Clair misturando suas lágrimas ao sangue que sai de sua máscara.

- Entendo, e tem minha palavra derrotaremos Hades. E sabia que enquanto eu viver você não será esquecida. - Diz Lucrécia. - Adeus, Clair de Câncer.

- Adeus Lucrécia de Andromarca, viva por mim. - Clair se despede.

- Sim, eu viverei. - Diz Lucrécia com uma leve voz de choro.

-TEMPESTADE NEBULOSA!!!!

O corpo de Clair se desfaz em pó. Assim como seu cosmo maligno, mas seu cosmo de amazona de Athena é herdado por Lucrécia. Ela toma como testemunhas as estrelas das constelações de Câncer e Andromarca que cumprirá sua promessa.

3 comentários:

  1. Jaime Freire Júnior29 de agosto de 2008 06:57

    Sou um novo leitor e queria comentar sobre sua fic.
    Pelo que li até agora está muito interessante vou ler os outros capitulos e depois comento sobre eles.

    ResponderExcluir
  2. Comente o quanto quiser! Criticas são sempre bem-vindas \o/

    ResponderExcluir
  3. ta massa merece um 10 pra quem feis isso ate que emfim um passatempo

    ResponderExcluir